Castro Lima

Crônicas, contos e causos

Textos

Sobre a crise
A crise é real, afetou mesmo aos EUA e também ao Brasil, ao mundo todo. O seu tamanho foi um, mas o susto e o medo foram bem maiores. Você já observou que há pessoas que só de ouvir falar de uma doença, já começam a sentir os sintomas? Então, é mais ou menos assim que ocorre quando se fala em crise. Claro que é preciso tomar cuidado, não entrar em dívidas novas e concentrar-se no pagamento das que já existem. Mas os planos não devem ir para a gaveta. Não há necessidade de se desesperar, aliás, desespero só vai arruinar mais ainda a situação. É só uma questão de observar mais, trabalhar mais, pensar mais. A crise não resiste ao trabalho. Nenhuma crise resiste ao trabalho duro. Crise só vinga quando há muita falação, reclamação e desespero. Vamos pensar em um barco de pesca em alto mar. Brisa suave, cardumes de peixe abaixo do casco, rede lançada ao mar, resultado bom. A tripulação está, nessa situação, bem relaxada, contente, tudo corre bem, conforme planejado e previsto. Não há o que temer. No entanto, o cenário muda e se ocorre uma tempestade brusca, violenta, mar revolto, nada de peixe, só o perigo da embarcação virar e todos perecerem. Nesse caso, os pescadores terão que se concentrar em ajeitar as velas com rapidez, em verificar a distribuição do peso dentro do barco, talvez lançar ao mar alguma carga para aliviar o peso. Param as brincadeiras, os gritos, reclamação e aplicam toda adrenalina possível para vencer a dura batalha entre a natureza e o homem. Quando isso ocorre, a vitória é, na maioria das vezes, do homem. Homem que com sua inteligência soube domar as intempéries que o afligiam de forma tão brutal. Assim é a crise, uma tempestade que nos pega desprevenidos ou nem tanto, mas que com esforço, trabalho e concentração, se resolve. Não pare seus planos, porque a televisão espalha notícias que mais parecem o fim do mundo. Apenas aumente mais o prazo de execução desse plano. Tire um tempo para analisar o que pode ser feito assim que o “mar estiver pra peixe”. Analise o plano melhore-o, mas não desista. Aumente o tempo de trabalho, dedique-se mais ao seu trabalho. Não há melhor antídoto para a doença chamada crise que o trabalho árduo feito com amor e dedicação. Mostre à crise que você é o indispensável, e que ela não.
Castro Lima
Enviado por Castro Lima em 16/10/2009
Alterado em 03/12/2009


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras